quarta-feira, dezembro 01, 2010

Cazuza disse: ”(…) eu tenho orgulho de fazer parte de uma geração que tem o Renato Russo, o Arnaldo Antunes, o Lobão, uma geração que acabou com essa história de que rock é bobagem. O rock já não é uma coisa da qual se possa debochar… A gente está com uma força de palavras, as pessoas estão ouvindo o que o Renato Russo fala, o que o Lobão fala… Por mais que cada um tenha caminhos loucos, eles estão falando.”

Renato Russo disse: “As pessoas vem, as pessoas vão… e o Cazuza foi e faz muita falta. Eu, sinceramente, sinto muito a falta dele, porque ele era uma espécie de ponto de referência, sabe? Nós temos o mesmo signo, a mesma idade, gostamos de Billie Holliday e de milkshake… Mas ele se foi… Só que eu acho que a poesia dele fica para sempre… Eu me lembro que no lançamento de ‘Que País é Este’, em 87, o Cazuza foi lá, já bem doente. Ele me disse uma vez que foi aquele negócio de ‘inveja criativa’ e quando ele ouviu ‘Que País é Este’ foi aquela inspiração pra ele escrever ‘Brasil’, que é uma das músicas mais importantes. E todo mundo fala nos músicos dos anos 80… E o interessante disso é que Cazuza não é só dos anos 80… É pra sempre.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário